Blog do Pedro Hauck: Junho 2013

16 de junho de 2013

14a turma do curso de escalada em Rocha em São Paulo SP - Inscrições abertas!

O curso será no final de semana dos dias 06 e 07 de Julho de 2013.

Ministro cursos de escalada desde 2008 e desde 2011 ofereço em conjunto com o amigo escalar e fotógrafo Tacio Philip Sansonovski e Aline Lessa Fornaziere um curso de escalada em rocha básico e acessível a quem deseja se iniciar à arte de escalar.

Desde então, 13 turmas e mais de uma centena de alunos passaram por nossas aulas. Cada aluno seguiu seu caminho e fico muito orgulhoso em saber que a maioria se manteve escalando e evoluiu bastante.

O curso foca no aprendizado de procedimentos de escalada, que na minha experiência trata-se do ensinável na escalada, pois o resto, relativo à evolução na graduação e dificuldade depende mais de treino (o ensino e o treino são paradigmas nas ciências pedagógicas e são coisas distintas).

Com isso, verificamos que o aluno que passa por este curso poderá, de forma independente, pôr em prático o conhecimento adquirido para poder treinar e assim evoluir na escalada. Daí seu grande sucesso ao longo destes 2 anos de formato de curso.

Mais informações sobre este 14o curso de escalada encontra-se no site GenteDeMontanha, que é a agencia de montanhismo que tenho junto com o famoso montanhista Maximo Kausch.:


Venha aprender a escalar com a gente e dê um presente à sua vida juntando-se a nós na prática desta atividade tão bela que é a escalada.

Alunos do curso de escalada de montanhismo GenteDeMontanha, ganham desconto na loja AltaMontanha, a maior loja de equipamentos de montanhismo, escalada e camping. 

Alunos na aula prática do curso de escalada em São Paulo.

11 de junho de 2013

Alto Estilo Santiago, a mochila do geólogo

Mochila Alto Estilo Santiago em campo na Serra do Mar.

Andei testando uma mochila feita para um objetivo diferente do montanhismo, uma mochila para trabalhos em campo e na cidade, trata-se da mochila Santiago da Alto Estilo.

Com 30 litros de capacidade, ela é uma mochila para uso diário grande. Capaz de carregar um laptop a coleção de livros do Almeida inteiros. Mesmo grande, ela não chega a incomodar, pois pode ser reduzida com uma regulagem lateral que não fica incomodo com o uso. 

Fora o compartimento principal, ela ainda tem dois outros menores para acomodar lápis e canetas, caderneta, chaves e celulares e ainda tem dois bolsos menores na barrigueira e alça ajustável.

Bom, apenas falei de suas vantagens na cidade, porém esta é uma mochila com DNA da montanha. Fabricada no Morro do Anhangava, campo escola de escalada do Estado do Paraná por um dos maiores nomes do montanhismo brasileiro, Chiquinho Hartmann, a Alto Estilo tem uma longa experiência nas costas dos montanhistas e por isso não decepciona quando é levada pra campo, pelo contrário, é ali que ela mostra sua superioridade sobre as mochilas de cidade concorrente.

Para mostrar que o que digo é verdade, deixo algumas fotos do meu ultimo campo. Dá pra trazer até uns 15 kg de bagagem nas costas com conforto e sem risco de detonar a mochila e ainda tem um porta martelo.

A Santiago pode ser usada por qualquer um, especialmente para aqueles cursos que tem mais trabalhos de campo, não só a Geologia, mas também a Geografia, Biologia e outros.

Sem pesar no orçamento do interessado, as mochilas da Alto Estilo estão a venda diretamente com o fabricante neste link: http://altoestilo.com/loja/index.php/mochilas.html

No entanto, para pedidos de até 15 mochilas, o que pode valer para uma turma da universidade, ou até mesmo de uma empresa que queira ter mochilas bonitas, resistentes e com DNA aventureiro, a Alta Estilo pode bordar a logo tanto do curso, quanto da empresa e você ainda terá um preço especial.

Acesse o site da Alto Estilo e conheça não só a Santiago, como todos os seus produtos:



5 de junho de 2013

Carregando pedra na crista do Ferraria

Sabe quando a gente está fazendo algo que sempre acha que pode fazer melhor, mesmo sabendo que fazendo isso vai ter muito trabalho e dor de cabeça? Bom, este sou eu...

Se não bastasse todo o trabalho que já tive em minha pesquisa, sempre acho que falta mais um campo e mais uma amostra pra caracterizar aquilo que quero demonstrar. Pensando nisso, hoje fui parar na crista do Ferraria.

A crista do Ferraria é um esporão que desce do cume da dita montanha até o vale do rio Cotia em cerca de 1100 metros de desnivel. Ela aparenta ser uma antiga superfície escalonada em direção ao mar, dando impressão que a montanha caiu para leste, hipótese que está sendo aventada pelo amigo Edenilson Nascimento em sua tese de doutorado. Talvez as Apatitas possam me contar uma história bacana...

Pensando nisso e acompanhado pela Ana Paula Wanke e Jeremy Paul Benkendorf (caramba só nome alemão!), fui fazer o que eu acho que será minha ultima coleta de rocha em trilha na Serra do Mar. Uma trilha, diga-se de passagem maravilhosa e que ajudei abrir há 2 anos atrás com o convite do amigo Jamil, que se foi desta dimensão e deixou esta preciosidade como legado ao montanhismo.

Saímos antes do sol nascer de Curitiba, e apenas começamos a caminhar às 9 da manhã, para chegar na base do grande degrau cerca das duas da tarde, local que escolhi para coletar minha amostra. Pra variar, o granito estava bastante lixiviado, com uma casca de "choquito" de quartzo que é ruim para coleta.

Procurando bem, achei um bloco com umas fraturas, onde poderia obter uma amostras. Tal bloco ficava ao lado de um precipício de uns 600 metros de altura. Mirei a talhadeira na fratura e comecei a bater, até que um pedaço enorme do bloco, com uns 300 kg se soltou e quase me levou junto. A Ana estava do lado e não acreditou. O bloco rolou ribanceira abaixo e demorou cerca de 1 minuto até os estrondos da batida que ele fazia na encosta cessar. Que queda!

Fiquei muito bravo por perder tanta rocha sã no meio de tanta rocha podre e redonda, mas logo encontrei uma outra fratura e consegui tirar uma lasca com granito puro dos bons! 

Não desci com muito peso, apenas metade do que trouxe da ultima vez, 30 kg.

É aqui que vamos!
Jeremy e Ana na parte florestal da crista.


Jeremy e ana chegando na parte campestre da crista

Chegando perto do destino: base do grande degrau.
Vista da crista e do morro do Saci
Ibitirati visto da crista: Maior parede do Sul do Brasil
Precipicio!

Avistando o Caratuva e o Taipabuçu

O que restou do bloco que quebrei. Tudo isso aí era uma laca que caiu montanha abaixo.

Local de onde a laca caiu! Quase que fui junto...

4 de junho de 2013

Fotos de quem está aprendendo a escalar

No ultimo mês ensinei várias pessoas a escalar, com cursos em São Paulo e em Curitiba. Abaixo estão algumas fotos de meus alunos paranaenses, com cliques do Hilton Bencke, que está cada vez melhor na fotografia e outros cliques meus, bom, não dá pra comparar!

Estes cursos foram muito bacanas. Adoro ensinar escalada. Já perdi a conta de quanto alunos eu tive, mas sei que está por volta de 200, isso em 5 anos de experiência em cursos. Nestes cursos me divirto bastante, é tudo muito bom, e os alunos adoram e sempre progridem, afinal, é o começo de uma nova mania, uma nova paixão, superar desafios pessoas em ambientes maravilhosos, como este das fotos, o Morro do Anhangava.

Obrigado aos novos escaladores Kleyton, Fabricio e Fred por este feriado cheio de escaladas e ao Hilton pela ajuda e fotos. Novos cursos virão no final do mês!

















Como o Hilton faz suas fotos.