Blog do Pedro Hauck: Julho 2012

27 de julho de 2012

Camelando

O Camelo é um animal que sobe montanhas e tem pedras em sua corcova. Na Serra do Ibitiraquire, Camelo é também nome de montanha, ou melhor de três pequenos cumes com blocos erráticos, que tem gente que chama de corcova. Uma Corcova = Dromedário, duas = Pico Paraná, três = Morro dos Camelos.

É a segunda vez que vou pra lá em menos de um mês. Haja camelação! Talvez por isso este morro tenha este nome. Um dos poucos que não tem nome tupi nesta serra de piás.



 Na natureza, quando algo é reto e perfeito, é por que é uma falha!


 Tupipiá






23 de julho de 2012

Tupipiá: Um cume esquecido

Para além do Pico Paraná, há um cume secundário que quase ninguém nunca ouviu falar. É o Tupipiá, uma montanha mais baixa que do proprio PP só é possível visualizar se você começar a varar a quiçaça em direção Leste. Estive lá recentemente, após um pernoite de bivaque no Paraná. Com um belo pôr e nascer de sol, registrei umas imagens:

Fim de tarde com vista para o Sul. Agudo da Cotia e Ciririca entre mar de nuvens

Olha o Tupipiá ali! (a direita do Pico Paraná, o mais alto). Na direita do Tupipiá, a sombra do conjunto do Pico Paraná.

Vista para Norte. Ferraria e no horizonte a Serra do Capivari.

Pôr do Sol entre o Itapiroca e Caratuva.


Nascer do Sol. Ao Sul, a cidade de Curitiba encoberta pelas nuvens e a sombra do Pico Paraná.

Caratuva, Taipa, Ferraria e Serra do Capivari ao amanhecer.

Primeiros raios de Sol

Ibitirati e o sol nascendo.


Tupipiá com a baia de Paranagua ao fundo

Tupipiá

18 de julho de 2012

Realizada a Alfa Crucis, a maior e mais difícil travessia do Brasil

A Alfa Crucis é uma travessia que passa por 44 cumes nos 3 principais Blocos montanhosos da Serra do Mar do Paraná: Serra do Ibitiraquire, Serra da Farinha Seca e Serra do Marumbi.

Após 10 de caminhada e muito sofrimento, Jurandir Constantino e Elcio Douglas Ferreira conseguiram finalizar esta travessia, certamente o marco no montanhismo de caminhada do Brasil.

Para saber mais sobre esta travessia, leia minha coluna no site AltaMontanha: Alfa Crucis, uma baita travessia.

Percurso (em vermelho) da trilha da travessia Alfa Crucis, realizada por Elcio e Jurandir.

17 de julho de 2012

Pôr do sol no Capivari

Após quebrar algumas pedras, eu e o Parofes fomos à Serra do Capivari, que é o bloco mais setentrional da Serra do Mar paranaense.

O Parofes estava muito afim de ver um pôr do sol e acampar na Serra. Muita gente não faz isso no Capivari, pois a montanha é bem acessível, sendo facilmente ascendida de ataque numa tarde.

O Parofes escreveu uma prosa pra lá de hilária sobre este acampamento na montanha. O Segredo de Capivari Mountain. Sem viadagem!

























Não nós arrependemos de deste acampamento preguiçoso. Apesar de fácil e acessível, o Capivari é muito cênico. Veja as fotos.

16 de julho de 2012

Pedra 10 X Pedro 1

Tenho escrito pouco no blog e o motivo disso é que estou estudando bastante. Não deixei de ir pra Serra, só que minhas motivações mudaram. Ao invés de buscar superar limites, estou indo a procura de falhas e das amostras da minha pesquisa de doutorado. Não que eu ache que isso é menos do que eu fazia, pelo contrário, continuo andando bastante, aprendendo muito e carregando muita pedra.

Na última vez que fui para a Serra, na companhia do Parofes, eu não fui para as montanhas, estive na verdade na base delas, procurando as rochas que serão amostras nesta pesquisa.

Se tem gente que acha que carregar pedra nas costas é dificil, às vezes não sabe como é dificil extrair uma amostra quando ela é maciça. 

Rocha maciça. Achei que seria moleza quebrar com uma ponteira

Comecei a bater por volta do meio dia, após um tempo procurando um afloramento que pudesse atender minhas exigências. 
Logo após pedir permissão a um morador local, comecei a tentativa, sob os olhares curiosos de dois guris, que com um sotaque carregado do Sul me avisaram:
_Vocês não vão conseguir quebrar isso!

Após algumas horas...

E com a companhia destes moleques fui batendo a talhadeira até fazer um buraco na rocha. Pensei que ela pudesse rachar a partir dali, mas nada. Após conseguir deixar a ponteira enfiada na rocha, usei todas minhas forças, mas nada do migmatito rachar... Ô rocha dura! Neste momento, já rindo de mim, um dos piás falou:
_ Se vocês não quebrarem esta pedra, serão os maiores manés do mundo!

Dito e feito, após estar pedendo de goleada, fui dar uma olhada no terreno onde moravam os meninos, e consegui achar uma amostra perfeita (com uns 13 kg) próximo a alguns blocos no chão.

Final do jogo: Pedra 10 x Pedro 1