Blog do Pedro Hauck: Pico Paraná em dois tempos

3 de junho de 2011

Pico Paraná em dois tempos

O Pico Paraná é uma das montanhas mais populares da Serra do Mar.

Pra quem tá acostumado, subir o PP é coisa tranquila, mas por estar na Serra do Mar e ser o que é, subir o Pico Paraná pode se tornar um grande inferno.

Foi o que aconteceu na semana passada, quando fui pra região para dar uma caminhada e peguei tempo fechado. Não que se molhar é um problema, mas andar pelas trilhas, "enxugando" a água da vegetação e depois chegar ao topo de alguma montanha com vento derruba a sensação térmica e pode colocar os iniciantes e gente mal acostumada em apuros.

Tempo fechado no Caratuva na semana passada. Olha a Camila no meio do nevoeiro. Não viu?

Por outro lado, com tempo bom, ir para a serra é uma delícia. Pode caminhar livremente, ter aquela visão sensacional é uma coisa que não tem valor, não tem preço... Foi o que aconteceu comigo nesta semana.

Tempo ótimo, céu azul, frio! Que mistura excelente para ir pra Serra... Quarta feira então, com ninguém no Pico Paraná é um convite irrecusável!

Cheguei à Fazendo do Dilson tarde e só comecei a caminhar às 3:45. Porém, com este tempo perfeito e muita vontade, cheguei ao A2 às 6:45, para montar o acampamento, curtir as estrelas e o frio solitário.

Fazendo o jantar. Que pena que não dá para tirar fotos das estrelas. 

Estar no PP sozinho é um presente. Geralmente a trilha está com muita gente e à noite nos acampamentos há muita bagunça, muita gente gritando e fazendo bagunça, mas no meio da semana é outra história. Muito bom ouvir o som do silêncio.


 O Caratuva visto do A2

 A barraca ao amanhecer. Da esquerda pra direita: Caratuva, Taipabuçu e Ferraria.

Aproveitei a oportunidade de conhecer um local que nunca tinha ido, o Morro dos Camelos, bem próximo ao A2, mas com uma pequena dificuldade em particular: Muita lama no caminho, mesmo na época seca. De lá pude tirar estas fotos:

Em primeiro plano o morro dos Camelos, ao fundo no centro o Agudo da Cotia e o Ciririca

Itapiroca

Morro dos Camelos, primeiro morrinho

Camelos com Agudo da Cotia e Ciririca ao fundo

Itapiroca na esquerda, Caratuva ao centro e Taipabuçu na direita

Camelos e Ciririca

Marcação da trilha


Tupipiá

Depois, como não podia deixar de ser, fui até o cume do PP, onde cheguei depois de uma hora de caminhada e fiz meu almoço: Um strogonoff de frango, liofilizado, é claro! Uma delícia que não faço nem em casa...




Esta foi minha quarta vez no cume do PP, mas nem sei quantas vezes estive no Ibitiraquire, chuto de umas 15 a 20. Subir o PP é fácil, nem precisa de um pernoite. Eu, no entanto, gosto de pernoitar na montanha porque assim eu sinto ela. Acho diferente você "ir" à montanha e "estar" na montanha, por isso gosto tanto desta região. Com tempo bom, é claro!

4 comentários:

Mildão disse...

muito massa, que visual einh?

peguei o seu track no rumos, iremos pro Pedra Branca amanha, se o tempo colaborar,

mooooooooooove

Reginaldo Mendes disse...

Realmente é maravilhoso estar la, sensação única. Estar na montanha sozinho é senti-la de verdade.

Miriam Chaudon disse...

Realmente belo e maravilhosamente magnífico!

Bea disse...

ô pedro, nomeia as fotos pra gente saber quem é quem!! realmente, com tempo bom é outra coisa fazer montanha. eu q o diga hj aqui no rj fazendo a pedra da gávea. não vi nada, tudo nublado. uma peninha né?