19 de janeiro de 2011

Mata de Igapó, Igarapé e Jacaré

Na Amazônia pequenos cursos d'água recebem um nome especial, Igarapé, que é a mesma coisa que córrego, ou arroio para o gaúcho ou "córgo" para um paulista do interior. Acontece que por aqui na Amazônia as dimensões são sempre exageradas e nem sempre os igarapés são "córguinhos", como se fala lá em Piracicaba.

Tive a oportunidade de conhecer um típico Igarapé amazônico à bordo de uma canoa tipicamente amazônica e conhecer os chamados Igapós, que são matas de terrenos baixos, situados ao longo dos Igarapés que são constantemente inundadas.

As árvores dos Igapós são baixas e são todas adaptadas a viver em terrenos alagadiços. Há muitas bromélias, orquídeas e plantas hidrófilas, como a Vitória Regia. Dentro da água há uma explosão de vida. É nestes igarapés de águas enegrecidas e bastante ácidas onde ficam os peixes mais bonitos e coloridos que estão presentes nas lojas de aquário do mundo. Além deles, há muitas aves e répteis, como as tartarugas e os jacarés.

 Igarapé

 Plantas aquáticas e peixes



Mata de Igapó






 Pôr do sol no Tapajós


Em Jamaraquá eu tive contato com o Sr. Iracildo, que como eu comentei anteriormente, é o Crocodilo Dundee do rio Tapajós exatamente por não ter medo de nada e saber pegar jacarés sem caçar o bichinho (ou bichão) usando apenas as mãos.

Quando conheci o Sr. Iracildo em Alter do Chão, ele nos contou suas peripécias... Disse que foi morar sozinho no mato com 9 anos de idade e que domava jacarés. Ele carrega um colar com um dente que tem uns bons 7 cm de um destes répteis e disse que já levou algumas mordidas. Olhando para sua perna, pude notar uma cicatriz grande.

_ Sr. Iracildo, isso aí na sua perna foi um Jacaré?
_ Foi não minino, isso aí foi o escapamento duma moto. Disse, humorado, nosso Crocodilo Dundee.

Sem perder a chance, fomos com uma canoa a um Igarapé durante a noite para pegar um Jacaré, ou melhor, para ver nosso colega demonstrar sua técnica.

Remamos Igarapé acima, adentramos os Igapós, sempre em Silêncio. Num determinado momento, nosso Crocodilo desceu do barquinho e foi, com a água na cintura, procurar o Jacaré, desaparecendo no meio do mato.

Após algum tempo começamos a ficar preocupado. Não víamos nenhuma luz de laterna e nenhum barulho. O que será que teria acontecido? Teria sido uma boa idéia convencer o pobre homem a demonstrar suas habilidades e colocá-lo em risco?

Pouco tempo depois surge do nada nosso Crocodilo com um Jacaré em suas mãos.

_ Esse é pequeno, lá aonde eu tava até aqui é muito longe pra trazer um grande! Justificou o Crocodilo Dundee do Tapajós. Seu Iracildo, você é o cara!

O Jacaré era pequeno, mas sua mordida podia arrancar alguns dedos. Veja só as fotos do bichano!



4 comentários:

Bea disse...

a amazonia é tudo de bom não é mesmo pedro?

Pedro Hauck disse...

Amazonia é muito interessante! Há muito o que se conhecer

Gandalf disse...

Olá Pedro, show de bola essa aventura na Amazônia. Tive o prazer de morar por lá, durante 5 anos, na 'calha sul' - Porto Velho/RO. A cultura relacionada à floresta tem grandes encantamentos e cada pedaço é carregado de beleza e histórias inesquecíveis. Conhecer essa região do mundo deveria ser obrigatório a todos para realmente se entender o por quê de preservar. Abraço.

André Zancanaro disse...

Mas explica aí como é que você conseguiu que o Charles Bronson segurasse o jacaré! hahahahaha...