7 de junho de 2010

Origem das Paisagens dos Planaltos do Sul do Brasil na RAEGÁ

Saiu uma publicação minha na revista científica de Geografia da UFPR Raegá. Trata-se de um artigo sobre minha pesquisa de mestrado, revisando o conhecimento sobre a evolução das Florestas de Araucária no Holoceno e dos Campos subtropicais.

 Típica paisagem dos Planaltos do Sul do Brasil, onde Florestas de Araucária fazem mosaico com campos subtropicais - São José dos Ausentes - RS.

Pra quem não sabe, os Planaltos do Sul do Brasil eram originalmente recobertos por Florestas Subtropicais aonde a Araucária (A. angustifolia) abundava. Estas Florestas faziam mosaicos com campos subtropicais, uma cobertura vegetal aberta em total oposição sucessional.

Pra quem não entende, sucessão ecológica é o grau de evolução de uma paisagem. Uma paisagem climax, é a que atingiu o grau de sucessão máximo daquele tipo de paisagem. Na maior parte das paisagens brasileiras as fisionomias climax são as fisionomias florestais e não é diferente nos Planaltos do Sul, mas por que então haveriam tantos locais onde a cobertura vegetal original são campos abertos?

 Campos subtropicais na Serra Gaúcha - Cambará do Sul - RS

Essa pergunta não é recente. Quem formulou a melhor resposta para esta indagação foi o geógrafo Reinhard Maack, que dentre as várias contribuições às geociências é também um dos fundadores da teoria da Deriva Continental e descobridor do Pico Paraná, num episódio onde a história da Geografia e do montanhismo se funde.

Voltando ao assunto, Maack percebeu que aos poucos, as florestas de Araucária substituiam os campos. Logo ele remeteu a ocorrência de campos, como redutos de vegetação da época mais fria e mais seca da última glaciação. Sendo assim, a tendência natural seria que os campos desaparecessem em detrimento das Florestas. Maack estava certo!

Através de técnicas de identificação de pólens antigos de plantas e datação por Carbono 14, podemos hoje saber quais eram as plantas que habitavam as antigas paisagens, com que frequência elas ocorriam e quando estiveram lá. Através desta técnica, a equipe do palinólogo alemão Hermann Behling pôde constatar que as florestas de Araucária recobrem os planaltos do Sul há apenas 3 mil anos!

Ou seja, antes disso, até mais de 10 mil anos atrás, todos estes planaltos eram recobertos por campos. Mas qual é a origem desta cobertura vegetal campestre subtropical? Aí entra minha contribuição...

No Estado do Paraná ocorrem ilhas de vegetação de cerrado, afastado milhares de Km da área central da ocorrência deste tipo de vegetação e sob condições climáticas atípicas de sua área core. Estas ilhas de cerrado, localizadas ao longo do rio Larajinha no Norte Velho do Estado e em Campo Mourão, são redutos antigos deste tipo vegetação que é a mais arcaica do Brasil.

A origem do cerrado é provavelmente remetente ao Terciário. Muito provavelmente ele se originou no Oligoceno, há mais de 30 Milhões de anos atrás.  Na época em que o cerrado se originou, o continente Sulamericano não tinha sua configuração como é a atual. Não existia cordilheira dos Andes, o Amazônas vertia suas águas para o Pacífico e onde hoje é o Paraná era uma faixa de terra tropical, quente com clima sazonal com 6 meses de chuva e 6 meses de seca, ou seja, um clima tipico dos atuais cerrados.

 O mundo durante o Oligoceno

Durante o Mioceno, ocorreu um evento tectônico que mudou a configuração do continente. A América do Sul girou em seu próprio eixo, jogando para porções subtropicais uma boa faixa de terra anteriormente tropical. Daí a semelhança do relevo dos planaltos do Sul com os Chapadões Interiores do Brasil Central, hoje recobertos por cerrados e penetrados por Matas Galerias.

As áreas ainda hoje ocupadas por cerrados no Paraná antigamente compunham um proto domínio de cerrados oligocênicos, mas por conta da estratura geológica, solos e de micro climas específicos, estas áreas se tornaram refúgios deste tipo vegetacional, sofrendo retrações em fases de climas desfavoráveis a seu desenvolvimento, mas se expandindo em fases favoráveis, o que lhe deu fôlego diversas vezes na história natuaral, o que lhe proporcional uma recarga genética fazendo com que estas ilhas de vegetação não fossem substituidas por outro tipo de cobertura vegetal.

Pois bem, o que isso tem a ver com nossos campos sub-tropicais?

Nos campos gerais do Paraná, área típica de campos subtropicais dos Planaltos, numa típica paisagem de mosaico campo x floresta do Domínio Morfoclimático dos Planaltos subtropicais recobertos por Florestas de Araucária, temos mais de 585 espécies típicas de cerrado! No Parque Estadual de Vila Velha é onde ocorre com mais tipicidade estas espécies anômalas, mas sequer há uma fisionomia de cerrado, como ocorre por exemplo em Campo Mourão e em Jaguariaíva, onde fica o Parque Estadual do Cerrado.

 Paisagem de Vila Velha - Ponta Grossa - PR

Isso é um indicativo que em Vila Velha havia um refúgio de cerrado, mas ele está em estágio final de desagregação, sendo recolonizado pelas espécies sub tropicais, sobretudo da Floresta Ombrófila Mista, a Floresta de Araucária, que avança sobre os campos.

Muito provavelmente a cobertura vegetal da época em que se formou as esculturas bizarras de Vila Velha era a de cerrado. O tipo de erosão que formou este relevo atesta a presença de água abundante, mas uma cobertura vegetal ineficiente para proteger o solo, ou seja, uma vegetação de cerrado campestre.

Durante a fase mais seca e fria da glaciação, algumas espécies de cerrado, sobretudo campestres e que não tinham como fator limitante as condições impostas pelo clima, avançaram sobre os planaltos, recolonizando-os e conformando a vegetação de campo subtropical, composto sobretudo por Poaceas (gramíneas) e Cyperaceas (arbustos).

 Paepalanthus sp. na Serra do Cipó - MG (foto Giselle Melo)

Paepalanthus sp. (meio sequinha) na Serra do Iqueririm em Santa Catarina

 Relevo de Vila Velha

Isso significa dizer que alguns domínios morfoclimáticos são mais antigos que outros e que nesta história toda, temos um domínio muito antigo (cerrado) e outro bem recente (das Araucárias). Mas peraí, as Araucárias não são um árvore triássica, um fóssil vivo?

 Araucárias em Vila Velha

Sim, elas são! As Araucárias são gemnospermas, ou seja, árvores que vieram antes das plantas com frutas. São árvores antigas da época em que surgiram os primeiros dinossauros. É preciso diferenciar a idade da Araucária (um elemento da paisagem) e o domínio de paisagem (uma área de centenas de milhoes de Km2 onde ecossistemas integrados se repetem com tipicidade conformando um mega sistema geoecológico).

Digo ainda mais: O Domínio Morfoclimático dos Planaltos das Araucárias é tão jovem, que sequer ele havia atingido um climax antes der ser inteiramente transformado pelo homem! Porque?

 Domínios Morfoclimáticos do Brasil. Veja a ocorrência das Araucárias e o fato de ser o único domínio que faz divisão linear com outro domínio sem uma faixa de transição

A Araucária é uma árvore que se adaptou muito bem com o clima mesotérmico e pluvial dos planaltos do Sul do Brasil, mas isso não significa que quando a paisagem passa a ser dominada por elas, chegamos à climax. Isso porque há árvores mais especializadas e de crescimento muito lento que substituem as Araucárias em um estágio mais avançado de sucessão ecológica. São as árvores da família das Lauráceas, as Imbuias, Canelas e Perobas. Mas por que estas Árvores não dominam as paisagens do Sul e as Araucárias são tão abundantes?

Acho que já falei demais por hoje. Vou deixar esta indagação para outro artigo futuro. Enquanto isso leitor, vou deixar aqui o link para que você leia na íntegra o artigo publicado na revista Raegá da UFPR:

HAUCK, P.; PASSOS, E.. A paisagem de Vila Velha e seu significado para a Teoria dos Refúgios e a evolução do domínio morfoclimático dos Planaltos das Araucárias. RA'E GA - O Espaço Geográfico em Análise, América do Sul, 19 29 04 2010.


2 comentários:

bucadora disse...

linda foto do Paepalanthus sp. na Serra do Cipó inscreva no 1º concurso de fotogafia da serra do cipo

Previdi disse...

Cara, que aula! Curti muito!
A partir de hoje vou acompanhar o seus sites na frequência que eu puder!