Blog do Pedro Hauck: Escaladas e Cachoeiras na região de Toledo

3 de março de 2010

Escaladas e Cachoeiras na região de Toledo

Voltando do Paraguai através do Mato Grosso do Sul e pela Ponte sobre o rio Paraná (a maior do Brasil) em Guaíra, onde ficavam as gigantescas cataratas de 7 Quedas, vim parar em Toledo.

Toledo é uma cidade muito bonita e próspera. Ela tem um centro super organizado e uma lagoa belíssima rodeada por um parque. As cidades do interior do Paraná sempre me surpreendem, foi assim com Cianorte, Maringá, Guarapuava e Londrina, todas cidades médias com excelente infraestrutura urbana, belo planejamento, muitos parques, muito verde e ótima qualidade de vida.

Em Toledo existia uma clube de montanhismo, o COPAM (Clube Oeste Paranaense de Montanhismo) que não sei que fim teve. Dois membros deles vieram pra Curitiba e hoje cuidam do refúgio 5.13 no Anhangava, o Eduardo e a Cíntia. Foi deles que eu ouvi pela primeira vez que havia escalada na cidade. Como em Foz do Iguaçu eu conheci um escalador de Cascavel, o Douglas, me encoragei em conhecer a pedreira de Toledo.

Chegando lá, dei de cara com máquinas e caminhões trabalhando, pois não é que estes escaladores do Oeste são machos e escalam numa pedreira em atividade! Bom, ao menos o lado da pedreira onde eles escalam não está em atividade, mas as detonações ocorrem periodicamente.

O interessante da pedreira não foi só as escaladas. Lá a Eliza reconheceu derrames ácidos do vulcanismo mesozóico, ou seja, um vulcanismo diferente daquele fissural que deu origem aos basaltos. Nesta pedreira a gente viu o contato do Basalto com o Riolito e nele havia uma deposição de um tipo de arenito misturado com a lava fluída que formou cordas do tipo pahoehoe. Pra quem se interessar, leia este artigo de autoria da Eliza: Vulcanismo no Brasil

Bom, eu não fui até o Oeste pra escalar em Pedreira... Foi através de uma outra noticia do Altamontanha, datada de 2006, que eu fiquei sabendo que lá tinha um setor de escalada numa cachoeira em uma cidade vizinha: Ouro Verde do Oeste, lá fomos nós.

A estrada para cidadezinha era um atrativa a parte, rodeada por plantações de soja, as mais belas que já vi, a paisagem era muito bucólica, me senti dentro de um quadro de Van Gough.

Na cidade começou minha luta pra saber onde ficava a tal da Cachoeira que eu havia visto no site AltaMontanha, que se chamava "Salto João e Maria". Bem, fui em todas as cachoeiras da cidade e nenhuma tinha este nome. Seria uma pegadinha do pessoal de Toledo fazendo uma parodia com a história das criancinhas perdidas?

Bem, faltava conhecer uma cachoeira chamada de "Salto do Rio Azul", lá fomos nós. Atravessamos estradinhas de paralelepídos, de terra e chegamos numa vila rural, depois de várias paradas pedindo informação, chegamos ao fim da estrada e nos perdemos no meio da soja, até desistir...

Na volta pro carro encontro com um caminhoneiro que me falou que no Salto havia paredes grandes, logo, resolvi voltar e entrar na plantação, chegando mais tarde ao rio e à cachoeira, onde eu achei os grampos de uma via.

Escalei a via e pequei uma baita chuva... Valeu para conhecer...

Mais tarde descobri que esta era a tal da Cachoeira, mas que lá haviam mais setores e não somente aquela via solitária.... Este foi o lugar mais escondido que eu já escalei no Brasil... Acho que os escaladores de Toledo acharam o nome ideal pro Setor: João e Maria.

 
Pedreira de Toledo


Pedreira de Toledo em atividade


Toledo by night

 
A prova definitiva de que os paranaenses o interior acham que estão em São Paulo


Paisagem bucólica

Muita soja

Estradinha de Pedra

Quadro impressionista

Ao menos para os agricultores as chuvas deste ano foram boas. Produção duplicada.

Perdido na plantação

Mas enfim fui achando o caminho...

Este é o Salto Nsr. Aparecida, nele não tem tem escalada.

Mas aqui sim!

Este é o rio Azul

Que calor!

Daqui a pouco eu escalo...

 
A única via que achei, dava um 6 sup acho...


Via bacana, com teto, diedro agaras invertidas... Pena que não achei as outras. Que lugar escondido!

5 comentários:

Eliza disse...

marcas das lavas nos sedimentos (lavas pahoehoe)... nada de ácidas...Ali ocorre a fácies Campo Erê.... acho que de tanto eu falar nesses derrames te confundi,,, rsrs..

V.Beal Publicidade disse...

Pedro legal que esteve por aqui.
A título de contribuir, na pedreira são mais de 50 vias abertas e equipadas com chapas e Ps. Onde você escalou é a Cachoeira Rio do Ouro, nome da via Pote de Ouro, e o Salto João e Maria realmente existe, mas é difícil de achar sem croqui ou alguém que o leve até la. mas é so seguir a estrada que passa em frente a Vila Rural. Tem um croqui bem detalhado aqui: http://picasaweb.google.com.br/104974708147103198024/CroquisDeEscaladaEmToledo#5458388702543706178 tem outros dos setores do salto, espero que quando vier para cá novamente entre em contato.
Bons ventos,
Victor Beal

Daniela disse...

Deve ser mesmo muito difícil falar de um lugar que você não encontrou! O Salto João e Maria possui muito mais vias do que essa cachoeira aí das fotos... o ideal seria ter procurado os escaladores da região, que poderiam ter lhe auxiliado.

Tali :) disse...

Oi Pedro, sou de Toledo e faço rappel por aqui, estava em busca de novos lugares quando encontrei seu blog... bem pacata minha cidade não? Fui a pedreira algumas vezes fazer um rapel de leve. Ás vezes me pego pensando, que poderia morar em um lugar onde o ecoturismo fosse mais valorizado, mas vivo buscando novas aventuras nesse oeste paranaense. Boas vias e já sou uma seguidora sua ;)
Abraços

rictv disse...

Ola Pedro, sou de toledo e tambem curto escalada, estamos com intenção de realizar um evento na cidade, se estiver a fim de nos ajudar entre por favor em contato /vantuir_tv@hotmail.com /ou /vantuir.weis@ricsite.com.br .
Abraço..