Blog do Pedro Hauck: Certo dia na Serra do Mar...

30 de junho de 2009

Certo dia na Serra do Mar...

Um dia sem muita pretenção, perfeito programa de índio, foi assim que começou...

Há dois anos atrás me mudei, vindo do interior de São Paulo, para a Curitiba com o intuito de realizar um trabalho científico.

O propósito inicial era estudar as origens da paisagem coalhada por matacões de granito no contraforte ocidental do Planalto Atlântico paulista. Uma região descrita sendo como originalmente recoberta por florestas úmidas, mas que de fato era recoberta por cerrados e cactáceas sobre os afloramentos rochosas, um típico caso de paisagem de excesão já conhecido e reconhecido por mim em meu trabalho de Conclusão de Curso em Geografia na Universidade Estadual Paulista de Rio Claro um ano antes. Trabalho esse lido e elogiado por ninguém menos, ninguém mais do que meu grande inspirador: o grande mestre Aziz Nacib Ab'Sáber.

Os caminhos da minha vida começaram a mudar quando me apaixonei à primeira vista pela chamada Floresta Ombrófila Mista, ou mais conhecida "Mata de Araucária", cobertura vegetal original dos planaltos do sul brasileiro que conjuntamente com os campos naturais formam o mosaico de ecossistemas do Dominio Morfoclimático dos Planaltos das Araucárias.

Minhas percepções sobre tal disposição de ecossistemas tão discordantes, junto com uma leitura mais apurada dos trabalhos de Reinhard Maack, João José Bigarella com os meus conhecimentos dos trabalhos do Aziz posta em prova pela denominada Teoria dos Refúgios Florestais dispertou em minha uma grande curiosidade: Qual teria sido a origem de dita paisagem?

Foi durante uma caminhada na Serra da Graciosa, num dia daqueles que o Julio Fiori diz ser "perfeito para morrer na Serra" com chuva fina e contínua, que junto com Marcelo Brotto, engenheiro florestal e presidente do Clube Paranaense de Montanhismo, que pude, em ar de espécie, obeter conhecimentos sobre a sucessão natural das Florestas subtropicais brasileiras.

Foram dois dias intensos e molhados que falamos sobre tudo o que sabíamos sobre a dinâmica e genêse das paisagens dos planaltos. O papo foi tão intenso que nossos colegas Hilton, Julio, Beto e Mikael se encheram e cada vez que falo em minhas pesquisas já ouço um imediato: "Lá vem as embromáceas!"

Pois bem, as embromáceas vieram e foram... Depois do conhecimento ecológico da sucessão atual, tive acesso aos trabalhos de Herman Behling. A redenção veio quando pude conversar com este grande mestre pessoalmente durante o último simpósio de palinologia e paleobotânica e ele achou minhas idéias "interrressants".

Foi muito trabalho, muita leitura e muita viagem (viagem do ato de sair por aí e observar os nuances regionais das paisagens) que cheguei a interessantes conclusões sobre a origem das florestas de araucárias, a relação com os campos, a última glaciação e... o cerrado e a migração das Araucárias pelas Serras do Sudeste.

O resultado disso tudo está na forma de um documento chamado: Cerrados, campos e Araucárias: A Teoria dos Refúgios Florestais e o significado paleogeográfico do Parque Estadual de Vila Velha, Ponta Grossa - Paraná. Dissertação de mestrado aprovada ontem com distinção pela originalidade.

Obrigado a todos que me ajudaram nesta jornada.

5 comentários:

tacio philip disse...

Não entendi nada das embromáceas mas mesmo assim: parabéns por se livrar dessa etapa, agora só tende a piorar :-) e vamos escalar? um haulbag está a caminho para os bigwalls ;-)

Kaoru Noda disse...

Parabéns pelo trabalho.
Puro merecimento.

Hilton ! disse...

Embromácia é a palavra mais adequada para definir o animus de Pedro, uma nova forma de expressão oral. Se um dia vc encontrar um cara chamado Pedro Hauck e ele iniciar seu processo de embromássia, corra! Mas corra muito, pois seu ouvido pode estar a perigo! kkk

Pedro! Parabéns mais uma vez pelo teu sucesso, pelo seu novo título, que apesar de já ser excelente, ainda diz pouco perto de sua capacidade! Tenha coragem, que ainda muito longe vc chegará!

Abrazos!

Parofes disse...

Etapa finalmente concluída.
Parabéns por mais essa conquista, agora você é Mestre!
Abraços,
Paulo

Miriam Chaudon disse...

Parabéns Pedro!!!Esse universo acadêmico não é nada fácil....
Muito estudo,leituras e envolvimento requer nessas etapas de Especialização,Mestrado e Doutorado.Mas vale a pena!