Blog do Pedro Hauck: Gruta do Monge: Potencialidades e problemas para a escalada

5 de março de 2009

Gruta do Monge: Potencialidades e problemas para a escalada

Vista panorâmica da Escarpa no Parque do Monge em Lapa - PR

Hoje estive participando do conselho consultivo do Parque estadual da Gruta do Monge, localizado no município da Lapa à cerca de 60 Km de Curitiba.

A gruta do Monge é um abrigo sobre pedra na escarpa que divide o primeiro do segundo planalto paranaense em sua porção mais austral. Esta escarpa é a popular "Serrinha" ou a técnica "Escarpa Devoniana", tudo depende de seu ponto de vista.

No ponto de vista da história do Brasil, Lapa foi uma cidade onde ocorreu um conflito sangrento durante a revolução federalista chamado "Cerco a Lapa", de acordo com o Wikipedia:

Ocorreu durante a Revolução Federalista em 1894, quando a cidade de Lapa tornou-se arena de um sangrento confronto entre as tropas republicanas, os chamados pica-paus (legalista) e os maragatos (federalista), contrários ao sistema presidencialista de governo. Lapa resistiu bravamente até que os lapeanos comandados pelo General Antônio Ernesto Gomes Carneiro, caíram exangües em combate. Resistiram ao cerco por 26 dias, mas sucumbiram ante ao maior número do exército Federalista. O episódio ficou conhecido como o "Cerco da Lapa", a batalha deu ao Marechal Floriano Peixoto, chefe da República, tempo suficiente para reunir forças e deter as tropas federalistas. Ao todo foram 639 homens entre forças regulares e civis voluntários, lutando contra as forças revolucionárias formadas por três mil combatentes. Os restos mortais do General Carneiro, assim como de muitos outros que tombaram durante a resistência, estão sepultados no Panteon dos Heroes, vigiados permanentemente por uma guarda de honra do exército brasileiro.

Lapa Também foi palco de outra guerra, a do Contestado em que Paraná e Santa Catarina entraram em conflito. Foi mais ou menos nesta época que um denominado Monge, chamado João Maria D'Agostini, habitou a região da escarpa. Sua fama de ser milagreiro atrai até hoje romeiros e pessoas que fazem promessa, o que transformou Lapa em uma cidade de peregrinação religiosa.

Pois bem, a cidade de Lapa tem muita história, aliás, ela ainda preserva em sua arquitetura parte de sua história, seja no calçamento de pedra, nas casas coloniais, nas igrejas e outras edificações, muito bonitas por sinal...

Aliado à este potencial, a paisagem do entorno de Lapa é muito belo, com as altas escarpas de arenito que orçam a altitude de mil metros que eram recobertas por campos naturais, eram!

O Governo do estado do Paraná foi culpado de um grande crime ecológico há muitas décadas atrás. Ele plantou na área antes ocupada por campos espécies arbóreas invasoras muito agressivas, como o Pinnus e o Eucalipto que mudou completamente a paisagem que hoje comporta um Parque Estadual, o único da Escarpa Devoniana, o Parque do Monge.

O Parque Estadual do Monge está abandonado e cheio de problemas. Há construções irregulares e completamente impróprias para um parque estadual, como restaurantes, quiosques de churrasqueiros entre outros. Nas escarpas há pixações e muita sujeira deixada pelos visitantes que por lá passam de maneira desordenada.

O triste desta história toda é que quem mais se ferrou com toda a depredação foram os escaladores, primeiro porque eles acompanharam as pixações e os abusos aconteceram com as rochas e depois porque foram por fim proibidos de escalar e muitas de suas vias sofreram com vandalismo, pois alguém cerrou e entortou vários grampos de vias de escalada.

Agora participando do conselho consultivo vim saber, que o parque será fechado por um ano, pois as árvores exóticas serão cortadas do parque o que poderá causar acidentes aos visitantes. Entretanto, esta noticia não é tão ruim, pois o governo do estado está investindo na preservação do parque e em sua infraestrutura e a Fepam terá uma grande chance de provar que a escalada em arenito não é impactante.

Como diretor da Fepam estarei atuando na elaboração de um documento com normas de conquista e conduta de visitação em toda a escarpa devoniana. Este documento será a norma de conquista de vias no Monge, que tem potencial para abertura de mais de 200 vias pelo visto. Estive na região da escarpa acompanhado pelo Zelão, que é o escalador local mais empenhado pela causa. Seus olhos brilhavam diante da beleza da escarpa. Ele me contou muitas histórias de escaladas e de conquistas, o que mostra seu amor pela região e pelo que faz.

Entretanto, antes da elaboração deste documento, é preciso comprovar técnicamente que escalada é uma atividade segura e que ela não irá causar danos ambientais. Para isso precisarei da ajuda de um geólogo e de escaladores experientes que já equiparam vias em arenito em São Luis do Purunã.

O caminho a ser percorrido para conseguir a liberação da escalada no Monge é longo, mas é não é difícil. Esta experiência será muito importante para mostrar para quê a Federação existe e fortalecer nossos vínculos com o IAP, a Paraná Turismo e a Eco Paraná, além da prefeitura e outras entidades governamentais.

Isso abrirá caminho para a gente participar e conseguir planejar outros parques em montanhas, como o Pico Paraná e o Anhangava, que pelo visto serão os próximos a receberem investimentos do governo estadual. Vamos arregaçar as mangas, trabalhar e ir na luta por nosso direito de escalar...

Reunião do Conselho Consultivo

Vista da escarpa por cima

A cidade de Lapa vista desde o topo da escarpa

Olha essa fenda!! depois que liberarem a escalada vou direto nela!

Um teto aluciante e um dos problemas: Abelhas!

Mais lugar para vias fortes!

Esta parede tem alguns sextos que fora alvo de vândalos que destruiram chapeletas

Mais parede

Mais tetos e mais potencialidade

Mais parede

Bizarrices no interior da Gruta do monge

Uso impróprio da rocha.... sem comentário!

Parafuso de chapeleta que foi cerrado por vândalos

Grampo que foi entortado por vândalo

Imagem de satélite sobreposta com track de GPS na Escarpa. São cerca de 1 km de parede lateral de arenito de qualidade.

6 comentários:

Diogo disse...

Oi Pedro
Sou jornalista da Folha de Londrina e gostaria de conversar com você sobre o blog. O eu telefone é 3219-1902 (Curitiba)
Obrigado,
Diogo

Triboo! Montanhismo disse...

Muito triste o passado, mas muito bom saber desta nova visão do estado !

Realmente o lugar é fantástico, fiquei um pouco triste em ver na foto do Google, que há muitas propriedades praticamente dentro do parque.

Parabéns pelo empenho Pedro !

Parofes disse...

Como sempre uma vergonha...pilhagem, essa palavra resume tudo.
Muito potencial, mas sendo destruído...

Breno Klamas disse...

Como fico contente com essa iniciativa. Antes tarde do que nunca. As escaladas do Monge não podem ficar no clandestino!

Juski disse...

Pedro, estou na luta com o Zelão para a liberação da escalada no Monge, tenho uma chácara na Lapa e estou lá todo final de semana, já escalei muito lá até proibirem, estou com o nome marcado lá no IAP, isso de tantas vezes que fui pego escalando depois da proibição. Já faz bastante tempo que não escalo por lá, mas gostaria de ajudar no que for possível para essa liberação acontecer.

Abraços
Marco Juski (mjuski@hotmail.com)

Fernando Ribeiro disse...

Ola. Há um equívoco a respeito do Monge, ele esteve aqui na Lapa muitos anos antes do Conflito do contestado, pra ser mais exato entre 1846 a 1852, o último monge é que foi um dos agentes fomentadores da guerra. ele era soldado desertor e se fez passar por monge pois se aproveitou da crença do povo local.