Blog do Pedro Hauck: Chuva e impressões sobre o Rio

27 de novembro de 2008

Chuva e impressões sobre o Rio



Fui vencido pela chuva, ela de novo, estrangando meus planos...

Que segundo semestre mais chuvoso foi esse?

E eu, que fugi da água do Paraná e vim tomar chuva no Rio...

Sem poder escalar, fui dar umas voltas pela cidade. O Rio é uma cidade muito maluca, a começar pelo relevo. Poucos lugares tem uma morfologia tão peculiar com montanhas rochosas tão próximas do mar e um litoral repletos de lagoas que são antigas enseadas fechadas pela areia da praia.

Em meio a um contexto deste, existe uma cidade com mais de 5 milhões de habitantes. Muita gente para pouco espaço. São prédios e mais prédios esprimidos entre as montanhas e o mar. O Rio é uma cidade divida pelo Norte e Sul.

A zona sul é um oásis de riqueza. Todo mundo quer morar lá! Talvez seja por isso que lá tudo seja tão caro. Desde o preço dos apartamentos até mesmo o preço de se estar lá, como ficando em uma pousada, comendo em um restaurante ou estacionando seu carro. Lá tudo é inflacionado!

No meio da cidade, temos uma Serra recoberta por uma floresta tropical densa. Trata-se do Maciço da Tijuca que é um Parque Nacional e a maior floresta urbana do mundo. Ela divide o Rio do Sul com o Rio do Norte, a periferia da cidade.

O Norte do Rio é uma região totalmente diferente do sul. Lá as ruas não são arborizadas e não tem praia. Para além da zona norte ficam os municipios da região metropolitana, Nova Iguaçu, com seus 1 milhão de habitantes, Duque de Caxias, centro petroquimico e industrial, Belford Roxo, Queimados, Magé... cidades dormitório.

Algumas destas cidades têm economia própria, outras são a extensão do próprio Rio, que empurrou sua população para mais longe, sem que muito quisessem, apenas por que lá é mais barato morar.

Há gente que não concorda em andar de "Central do Brasil" que é o trem metropolitano, nem mesmo de ônibus. Transporte no Brasil vc's sabem como é: Caro e ineficiente. Para muitos, morar num morro ao lado do centro, ou melhor, da zona Sul, é muito melhor. Mesmo que lá a energia elétrica seja um gato e não haja saneamento básico. Por fim, lá não se paga IPTU e o trabalhador está do lado do trabalho, sem os malditos ônibus. Há também outros benefícios, como a TV a cabo roubada e a vista. Sabe quanto custa um ap com vistas para o Atlântico? e um barraco?

As favelas, ou comunidades, como preferem os politicamente correto, são lugares que favorecem a defesa. Na antiga Paris da época da revolução, elas foram cruciais para que no final o rei tivesse sua cabeça cortada. Quem é que consegue invadir uma favela? O Bope? Quem domina a Favela? Bom, as favelas de Paris foram todas destruidas pelo Le Corbuisier, o que facilitou e muito a vida de Hitler mais tarde...

Eu tinha um professor de sociologia que dizia que incluído é aquele que paga imposto. Para o caso do Rio acho que é uma verdade, pois as favelas não são controladas pelo Estado, elas são um Estado paralelo, com leis próprias. Dizem que rouba dentro da Favela é crime punido pela lei do cão. Se é, eu não sei, pois só vi as Favelas. A má fama faz com que eu não tenha vontade, ou melhor, tenha medo de conhecer sua realidade.

O que vi no Rio é que aqui é um lugar muito bonito. Para mim, que sou escalador, um lugar para sempre voltar. Entretanto tirando o relevo e a natureza, urbanisticamente o Rio é um caos. É uma pena ver uma cidade tão bonita, mal cuidada, com casarões históricos caindo aos pedaços, um trânsito infernal, e tanta diferença e indiferença social.

No Brasil criou-se um estigma de que o brasileiro é um individuo alegre, sempre sorridente e de bem com vida, que gosta de samba, que sempre dá um jeitinho de sair das dificuldades da vida, que tem uma marra e malandragem, algo que popularmente chamamos de "jeitinho brasileiro". Eu que nasci e cresci no interior de São Paulo e vivo agora em uma capital do Sul, nunca me senti um "típico" brasileiro, apesar de não negar a influência, apenas não sou como é o rótulo. Nosso país é muito grande e muito diverso. Depois de minhas andanças pelo Rio, percebi que este estigma é o estigma do carioca normal, que alguém, talvez uma emissora de TV que é sediada nesta cidade e que por sinal é a mais influente no país, tenha colocado em nossa cabeça que somos todos assim...

O Brasil tem tudo o que o Rio tem em sua formação, mas o Rio é o cúmulo do Brasil.

Escalando quando o tempo deixou

Ah, se o tempo tivesse ficado sempre assim...

Um dos raros momentos em que o Pão de Açucar pôde ser visto sem nuvens.

O velho e o novo.

Parte da História preservada: A biblioteca Nacional.

Sina de cidade grande (Na Amérca latina.

Arcos da Lapa.

Santa Tereza.



Santa Tereza.

Neblina no Parque da Tijuca. Fui com a camisa do Corinthians e ninguém me xingou de paulista!

3 comentários:

Parofes disse...

É Pedrão...

Agora você conheceu de fato onde eu nasci e cresci.
E jká estive nos dois lados. Já morei na Zona Sul (épocas de ouro da família), mas depois da época boa morei na Zona Norte, nunca em favela mas em bairros até bons da Zona Norte.
É um caos urbano sim, e tudo em menor escala que em SP, mas igualzinho...rs
Tanta beleza indo pro lixo, inclusive as edificações históricas que estão literalmente se desfazendo (imagina eu, Historiador, vendo isso...).
É uma porcaria cara, o centro fede a urina, drogados nas ruas...
Parece mais uma cena de Frank Muller em "Batman - O cavaleiro das Trevas" de 1988, trevas em Gotham City...
Abraços!

tacio philip disse...

Apesar de eu não gostar de foto de arquitetura a foto "O velho e o novo." ficou um tesão, a composição ficou bem legal!

Rafael disse...

Eu tambem não me sinto o brasileiro nem carioca tipico.. eu nem gosto de carnaval e samba !!! kkkkkkkkkkkk

Quanto ao que você escreveu sobre o rio infelizmente e verdade. Aqui tudo e inflacionado, caro, e os contrastes sociais são grandes.

Infelizmente as pessoas aqui não apenderam a votar e tem os governantes que merecem.