Blog do Pedro Hauck: Planejamentos para a sul do Mercedário

20 de dezembro de 2007

Planejamentos para a sul do Mercedário

O Cerro Mercedário ao centro, com o Pico Polaco na esquerda e o Cerro Negro à direita (foto de André Grünwald)

No dia 27 de Dezembro de 2007, estarei junto com Antonio Gabriel Gadenz, de Porto Alegre, rumando aos Andes argentinos para escalar o Cerro Mercedário de 6770 metros, a oitava montanha mais alta do continente situada na província de San Juan, próximo à fronteira com o Chile.

O Mercedário é uma montanha muito remota. São poucas as pessoas que tentam escalá-la. Isso por que ela fica muito perto do Aconcagua e o vizinho mais alto polariza mais a atenção dos montanhistas.

Entretanto, o Mercedário é muito famoso, pois ele proporciona uma vista muito bonita desde o Aconcagua. Aliás, foi do Aconcagua, mais especificamente desde de Nido de Condores, que eu avistei o Mercedário pela primeira vez, em 2002.

Outro fato que faz o Mercedário ser uma montanha considerável é que onde ele está situado, na Cordilheira de La Ramada onde existem outras três montanhas de mais de seis mil metros e no meio de outras dezenas com mais de cinco mil, ou seja, é uma região de muita concentração de montanhas altas e pouco exploradas.

Para escalar o Mercedário, não é preciso muito experiência e nem mesmo muita técnica, pois pelo norte o cume é alcançado em uma caminhada, mesmo que longa e exaustiva ao extremo.

Mas nosso desafio não é escalar por este lado, mas sim pelo sul.

Por esta vertente, temos que escalar uma parede de quase 2 mil metros de altura para se chegar ao cume, o que aumenta muito a dificuldade física e técnica.

Os perigos, entretanto, não são tão grandes, pois o máximo de inclinação que a parede chega é 60 graus, o que diminui e muito o risco de avalanche. O problema, porém, é que teremos que subir esta parede com a mochila nas costas, pois teremos que montar dois acampamentos na rota devido o tamanho da parede.

Pelo que pesquisei até agora, nenhuma expedição brasileira escalou a face sul desta montanha. Mas já houveram brasileiros que tentaram, como meu próprio companheiro, o Antonio.

Ele esteve junto com uma expedição do CAP (clube alpino paulista) tentando a montanha. Acabaram desistindo, mas escalaram uma montanha vizinha, o Cerro la Mesa. Técnicamente, esta escalada se assemelha com a do Glaciar Polacos do Aconcagua. O tamanho é quase o mesmo, a paisagem também. A diferença é que a rota no Polacos está orientada à leste e do Mercedário a sul. Isso quer dizer que esta parede é menos exposta ao sol, é mais fria. Isso dificulta mais.

Entretanto acredito estar pronto para este desafio. Ao longo destes anos de experiência nos Andes, já escalei muita coisa e uma rota aos moldes da sul do Mercedário é, para mim um próximo passo.

Venho desde 2004 escalando rotas técnicas. Para começar a rota "Reloj de Arena" no Cerro Rincón, depois a tentativa de escalar a Polacos no Aconcagua. Em seguida, tentei escalar o "glaciar colgante" no Cerro Morado no Chile e a face sul do cume argentino do Tronador. Este ano estive na Bolívia, e escalei algumas montanhas sozinho, o que me ajudou na melhoria do meu "psicológico".

Por todos estes motivos e também por que durante este último semestre estive bastante envolvido com o montanhismo na Serra do Mar do Paraná, acho que esta expedição tem grandes chances de dar certo.

Para que tudo ocorra certo, precisaremos escalar também por etapas.

Antes de subirmos o Mercedário, faremos uma aclimatação no Cerro Ramada, de 6380 mts. Depois, o ideal, será que a gente faça uma escalada no Cerro Negro de 5600 mts que apresenta uma rota técnica aos moldes do Mercedário, onde eu e o Antonio iremos fazer um entrosamento com a escalada e os equipamentos.

Só depois de aclimatados e entrosados, vamos entrar na parede do Mercedário para um ataque final, com menos peso possível.

Contudo, iremos gastar cerca de 20 dias na montanha, longe da civilização, de banhos quentes, de comida gostosa e de conforto.

Isso quer dizer também que ficarem todos esses dias sem contato. Entretanto o esforço valerá a pena. Assim espero...

:: Continue lendo esta história

Aproximação ao Acampamento 1 da parede sul. Atravessando penitentes. (André Grünwald)
Vista para o acampamento 1 da parede sul (acima do esporão rochoso) desde o acampamento 1 do Ramada. (fotos de André Günwald) A face sul inteira do Mercedário desde o cume do Ramada (foto: André Grünwald) Imagem do Google para o Cordón de la Ramada. Os Pontos marcados são os lugares onde passaremos. A começar por Barreal, a cidade mais próxima. Abaixo, o mapa da aproximação.

Um comentário:

George Nas Nuvens disse...

Pedrao!

Um super abraço do nuvens e da galera aqui da Território! Sucesso na empreita!