Blog do Pedro Hauck: Escalando o Pequeño Alpamayo

2 de agosto de 2007

Escalando o Pequeño Alpamayo



O Alpamayo é uma montanha de 5950 metros localizada na Cordilheira Blanca no Peru. Tornou-se famosa por ter sido considerada a montanha mais bonita do mundo por algum tempo. Antes de vir para a Bolívia, minha intenção era escalar esta montanha peruana com o Maximo e o Fabinho. Os planos, no entanto, não deram certo e por acaso deu certo de eu vir para cá com o Marcio.

O (pequeno) Alpamayo boliviano fica localizado na Cordilheira Real, que é a cadeia de montanha oriental deste país, erguendo-se entre o altiplano e a baixada amazônica. É uma região formada por montanhas não vulcânicas, ou seja, são montanhas dobradas, falhadas e soerguidas, muitas das quais tem altitudes superiores à 6.000 metros, como o Illimani, Ancohuna, Illampu, Huayna Potosi, Chachacomani e Chearoko.

Dentro da Cordilheira Real, o Pequeno Alpamayo fica localizado no grupo Condoriri, que são montanhas de baixa altitude (para os padrões bolivianos!) muito delas rochosas, porém circulada por geleiras, que faz que alguns cumes desta região sejam de grande dificuldade para a escalada.

Escolhemos escalar no grupo Condoriri pela facilidade de acesso e pelo conforto do acampamento base, que fica ao lado do lago Chiar Khota, num lugar muito agradável com gramado e bem protegido do vento, embora numa altitude de 4600 metros.

O acesso ao acampamento base se faz por Tuni, que é um vilarejo de índios Aymará ao lado de uma represa que abastece La Paz de água. Lá negociamos uma mula para carregar nosso equipamento e começamos nossa caminhada rumo ao lago Chiar Khota. São apenas 10 quilômetros que separa a vila do acampamento, uma distância curta para o montanhismo.

Uma vez no acampamento base, fizemos uma caminhada de reconhecimento da rota para o Pequeno Alpamayo, que não é inteiramente avistado desde a base, pois ele fica atrás do Nevado Tarija. A intenção era na verdade fazer um treino de escalada em gelo, mas as paredes de gelo estavam tão longe que não pudemos fazer nada a não ser vê-las à distância.

No dia 1 de Agosto acordei por volta das 5 horas da manhã e esquentei o resto do jantar da noite anterior. Não fazia muito frio para o padrão das montanhas bolivianas e assim pude me preparar sem maiores problemas fora da barraca. Cansado e sem dormir a alguns dias. Marcio ficou no acampamento, enquanto que eu fui a caminho da geleira do Nevado Tarija.

Em pouco tempo cheguei à base do Nevado Tarija e comecei a subir sua encosta, que em alguns pontos chega a ter uma inclinação razoável e grandes gretas, fácilmente reconhecidas. Em pouco tempo, já estava no cume desta montanha, a 5340 metros, o primeiro lugar de onde se avista o Pequeno Alpamayo por inteiro.

A visão era espetacular, a montanha é um espigão elevado extremamente escarpado por todos os lados e todo nevado. A visão que não agradava muito era a o caminho que me levava do Tarija à esta montanha. Eu teria que descer uma escarpa rochosa para chegar à um colo, subir um morrote e depois escalar uma crista afiada para chegar ao cume do Pequeno Alpamayo.

Haviam dois grupos em minha frente escalando a montanha, ambos com guias e com cordas, eu, sozinho, não tinha ninguém para me dar segurança, ou seja, cair era impensável.

Rapidamente desci a encosta do Tarija e comecei a subir a crista do Pequeno Alpamayo. Cruzei com uma das equipes que desciam a montanha bem no momento em que eu escalava a parede mais inclinada, com cerca de 55 graus de inclinação, tive que esperar alguns minutos numa situação delicada, porém nada demais.

Subir uma parede como esta requer atenção, principalmente quanto se está com apenas um piolet de travessia, é preciso fixar bem os pés no gelo e depois fixar bem o piolet e prosseguir vagarosamente. Assim, de pouco em pouco cheguei ao cume da montanha, que é um platozinho bem pequeno e afiado, de lá pude ver várias montanhas que eu já estive, como o Illimani e o Huayna, foi maravilhoso... as fotos podem contar a história melhor do que eu.

:: Continue lendo esta história
:: Veja o tracklog do Pequeno Alpamayo no Rumos: Orientação em Montanhas!

Vilarejo de Tuni e a face oeste do Huayna Potosi
Scharzbrot, o pao do Mikael, presente até nos Andes.
A geleira do Nevado Tarija
Atravessando algumas gretas no caminho do Tarija
O cume do Tarija mais de perto
O caminho de descida do Tarija em direcao ao Pequeño Alpamayo
Auto retrato no cume do Tarija com o Pequeño Alpamayo ao fundo
Vista do Pequeño Alpamayo desde o colo, conseguem ver gente na rota de escalada?
O trecho mais inclinado da Crista do Pequeño Alpamayo
Minhas coisa no cume afiado da montanha
Auto retrato no cume do Pequeño Alpamayo com montanhas do grupo Condoriri ao fundo

2 comentários:

Igor Cazés (A Mosca) disse...

grande viagem, pedro!

eu fiz o pequeno alpamayo (5370m exatos)com 3 amigos em julho de 96!
o cume é um dos clássicos da bolívia

Sorte!

Igor

Triboo! Montanhismo disse...

Olá Pedro ! Muito legal seu Blog ... já adicionei no meus favoritos ! Que bom q vc curte o Pedrão de Pedralva ... aquela Montanha é demais !

Abraços,

Orlando - Itajubá